O papel e potencial dos polos da UAB na interface entre o formal e o não formal

Parceiros UFF, UEL
Período 06/11/2015 - atual
Coodernador(es)
Equipe
Situação Ativo
Publicações
EIDELWEIN, Monica Pagel; AMIEL, Tel. Polos da Universidade Aberta como espaços híbridos de formação: Terminologias e atividades. . Rio Grande: [s.n.]. Disponível em: <http://esud2017.furg.br/>. , 20 out. 2017
EIDELWEIN, Monica Pagel; AMIEL, Tel. Construíndo uma tipologia para categorizar atividades em espaços híbridos. 2016, [S.l: s.n.], 2016. p. 1–16. Disponível em: <http://sistemas3.sead.ufscar.br/ojs/index.php/2016/article/viewFile/1757/747>.

Os polos da UAB são campo fértil para a investigação sobre a emergência de novas configurações de ensino e aprendizagem que dão margem a educação aberta. Pretende-se nessa pesquisa analisar os polos como espaços híbridos de formação, que circulam entre o formal e o não formal, buscando entender como produzem e que caminhos podem ser estabelecidos para que produzam práticas educacionais abertas e recursos educacionais abertos. Teoricamente, buscamos compreender o hibridismo dos polos através de conceitos emergentes como redes, coletivos, terceiros-espaços, dentre outros. As atividades realizadas em treze polos da UAB são o objeto de pesquisa, conduzida através de levantamento de dados por questionários e entrevistas.

Categorias: Cátedra UnBCátedra Unicamp