Caderno REA

Pense em um cenário onde um colega lhe empresta um DVD para usar em sala de aula. Considere a possibilidade de que você queira utilizar somente um trecho do vídeo, e queira adicionar legendas para seus alunos. Imagine a dificuldade que isso seria! Agora, pensanto no aspecto técnico se o recurso estivesse à sua disposição em um formato mais comum (por exemplo, um arquivo de vídeo no formato MPEG ou MP4), seria fácil modificá-lo em um computador que tenha o software adequado. Quanto mais comum e aberto for o formato, maior a chance de que você tenha software para trabalhar com ele. Formatos abertos são formatos que podem ser implementados por qualquer um - ou seja, que sabemos como funcionam. Formatos abertos que você pode conhecer incluem o HTML (páginas web) e ODT (documentos de texto do Open Office/Libre Office/BR Office).

Por sua vez, no aspecto legal, se o DVD contém um vídeo com uma licença restritiva ou “todos os direitos reservados”, você não tem direito de modificá-lo (como por exemplo, cortar um trecho ou adicionar legendas) sem pedir permissão ao criador ou quem quer que seja que detêm os direitos. Se o vídeo tiver uma licença mais aberta e permissiva, você pode trabalhar com o recurso sabendo exatamente quais direitos o autor da obra abriu mão para você e em quais condições. O uso e criação de REA amplia portanto a liberdade de ensino, e pode ajudar a repensar a “pirataria” e o “plágio” em sala de aula.

Educação Aberta e REA (Projeto MIRA)

Como professor, você é o colaborador mais importante para o movimento REA. É você quem melhor entende as necessidades dos seus alunos, conhece os recursos disponíveis e os contextos de aplicação. Além disso, professores são profundos conhecedores de uma área de conhecimento, se não de muitas. Colaboradores em geral têm diferentes níveis de habilidades de ensino, conhecimento técnico, de design e de ensino. Portanto não se preocupe se você não é um especialista em alguma dessas áreas. Para crescer e beneficiar alunos e professores ao redor do mundo, o movimento REA precisa de pessoas como você1!

Como pensar REA na escola pública? O conceito de REA não é novo, nem vive de forma isolada. Como tudo em educação, é importante pensar nas relações e em todo o sistema. Nesse texto, a Professora Fabiana de Souza faz uma análise da relação entre REA e o conceito de “abertura” da escola. Quando pensamos em trabalhar com REA na escola, não podemos pensar somente em recursos educacionais (livros, imagens, planos de aula, etc.). Quais são as outras áreas que precisam ser olhadas? Como pensar em REA, pensando também em uma transformação do espaço e relações escolares?

Não é necessário saber programar, nem ser um guru da Internet para participar. Quando você opta por trabalhar com REA você pode, por exemplo, navegar em galerias de arte com licenças abertas online, selecionar imagens com licenças apropriadas e usá-las para compor um pôster, atividade ou outro recurso educacional para as suas aulas. Esses recursos criados por você ou pelos seus alunos podem por sua vez ser compartilhados como REA, para que outros possam usar nas suas próprias criações de maneira legal, sem que precisem pedir permissão, pois essa já foi concedida. Isso só é possível porque pessoas como você criam e compartilham recursos de maneira aberta2.


  1. Tradução de parágrafo disponível em: http://wikieducator.org/OER_Handbook/educator_version_one/Introduction/Defining_OER 

  2. Adaptação de trechos disponíveis em: http://wikieducator.org/OER_Handbook/educator/Introduction/Why_OER%3F